Você está no

BLOG DO ICOR

medical-563427_1920-1200x800.jpg
25/abr/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


Como é realizado o procedimento da reabilitação cardíaca e respiratória?

A reabilitação cardiorrespiratória, consiste na realização de um programa de exercícios físicos para prevenção e recuperação de problemas decorrentes de doenças cardíacas e/ou respiratórias. Com o acompanhamento de um fisioterapeuta, pode-se realizar exercícios físicos em esteira ou bicicleta ergométrica, piscina, musculação e, até mesmo, caminhadas ao ar livre. Sempre considerando as capacidades individuais de cada paciente.

 

Dr. Antônio Marcos Vargas da Silva
Fisioterapeuta e Doutor em Fisiologia


O que é sopro no coração?

O sopro é um ruído que o médico escuta no tórax do paciente com o estetoscópio, e que pode significar ou não um problema no coração (“sopro inocente”). O ruído ocorre pela passagem do fluxo de sangue nas veias e artérias ligadas ao coração e nas cavidades internas e válvulas intracardíacas. É diagnosticado com o exame ecocardiograma colorido, onde se examinam todas as estruturas internas do órgão, vendo a cores, o fluxo do sangue e ouvindo os ruídos intracardíacos. Se nesse exame não forem constatadas alterações chamamos o sopro ouvido pelo médico como sopro inocente, ou se anormal, evidenciamos o problema que causa a doença (cardiopatia congênita, estreitamento ou insuficiência nas válvulas cardíacas, prolapso de válvula mitral…). Se o exame ecocardiograma colorido for normal, o paciente não precisa fazer nenhum tratamento e levará uma vida normal, podendo praticar atividades físicas sem restrições.

 

Dr. Antonio Vicente Aita (CRM 6444)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


Se o rótulo de um produto traz a informação de que o mesmo é sem colesterol, ou com baixo teor de colesterol, significa que o produto tem pouca gordura?

Produto sem colesterol não é a mesma coisa que produto sem gordura. Para entender isso é bom esclarecer que o colesterol é produzido apenas por animais e só existe em alimentos de origem animal como carne, queijo e ovo, etc. Um exemplo clássico de gordura sem colesterol são os óleos vegetais (soja, girassol, canola). Alguns óleos vegetais, para chamar atenção do consumidor, colocam no rótulo “sem colesterol” , no entanto todos os óleos vegetais são sem colesterol. A portaria 27- 1988 da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)- determinou que nos rótulos devem ter discriminados os valores nutricionais e o tipo de gorduras de cada produto. Um alimento para ser considerado como “baixo teor” de colesterol tem que ter no máximo 20 mg de colesterol, para cada 100 gramas ou 10 mg por 100 ml do alimento em questão.

 

Drª. Maristela Beck
Endocrinologista


Como aparecem as úlceras de perna? Qual o tratamento?

As lesões ulceradas de perna originam-se de diversas doenças, desde infecto-parasitarias menos comuns em nosso meio, englobando doenças auto-imunes e até mesmo câncer. As úlceras mais frequentes estão relacionadas a insuficiência venosa crônica e síndrome pós-trombótica, que ocasionam sofrimento diário e perda importante de qualidade de vida. O tratamento é direcionado ao tipo de doença que origina a lesão, sendo fundamentais o diagnóstico e manejo adequados visando a plena recuperação funcional e de qualidade de vida.

 

Dr. Luiz Paulo Brilhante Wolle (CRM 8661)
Cirurgião Vascular do Instituto do Coração – ICOR


Quais os sintomas da angina e como tratar?

O paciente com angina de peito, geralmente, apresenta dor torácica, que pode ser irradiada para o ombro esquerdo, para a mandíbula ou para o dorso. Caracteriza-se por um aperto e, muitas vezes, os pacientes referem “um sufoco”. A angina tem várias classificações, sendo as mais frequentes a angina de peito instável e a estável. Isto tem relação com as características da dor, ou seja, frequência, intensidade, duração da dor, se desencadeada ao esforço ou mesmo em repouso, se recente ou não, se alivia com isordil sublingual ou não. O tratamento será determinado pela apresentação clínica e por exames não invasivos e, principalmente, invasivo (cateterismo cardíaco). E, poderá ser clínico (remédios), intervencionista (angioplastia coronária com stent) ou cirúrgica (pontes de safena e mamária).

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


 


chuuuuu32-1200x800.jpg
25/abr/2018

1. TENHA HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS 

Reduza o consumo de gorduras, frituras e industrializados. Dê preferência às frutas, alimentos integrais, verduras e laticínios desnatado. Sementes de linhaças, nozes e salmão são alimentos ricos em ômega 3, contêm ácidos graxos que ajudam a preservar a saúde do coração e reduz o risco de morte por infarto.

2. PRATIQUE EXERCÍCIOS FÍSICOS 
Se não houver restrições médicas, caminhe, corra, nade, ande de bicicleta… A prática de atividades físicas com frequência ajuda o coração a bombear sangue com mais eficiência pelo corpo deixando as artérias e vasos mais flexíveis e saudáveis.

3. CUIDE SEU PESO 
A obesidade aumenta o risco de morte por doenças relacionadas ao coração. Isso porque ela causa uma série de alterações no metabolismo e favorece doenças como hipertensão, colesterol alto e diabetes.

4. CUIDE DO COLESTEROL
O colesterol é um dos principais fatores de riscos para o coração, pois pode causar acúmulo de gordura nas artérias dificultando a passagem do sangue pelo corpo.

5. CHEQUE SEMPRE A PRESSÃO ARTERIAL 
Verificar a pressão é a maneira mais fácil de detectar a hipertensão. É importante que pessoas de todas as idades verifiquem os níveis, pelo menos, uma vez ao ano.

6. CUIDE DA SAÚDE BUCAL 
Pesquisas mostram que bactérias provenientes da má higiene bucal podem entrar na corrente sanguínea e chegar até o coração. Elas proliferam-se e podem ocasionar diversas doenças cardíacas até a endocardite bacteriana.

7. DIMINUA O SAL 
O uso excessivo de sódio é um fator de risco para o aumento da pressão arterial e consequentemente, para problemas do coração. No lugar do sal invista em temperos para dar mais sabor ao seu prato. Tenha o hábito de verificar a quantidade de sal nos rótulos dos alimentos.

8. BEBA BASTANTE ÁGUA 
Manter o corpo sempre hidratado ajuda o coração a bombear o sangue com mais facilidade.

9. DIMINUA O ESTRESSE 
O estresse é um sentimento normal, porém seu excesso é que se torna um fator de risco para o desencadeamento de doenças cardiovasculares. A preocupação, o desconforto, sensações de medo, irritação, frustração e nervoso são alguns sintomas característicos do estresse.

10. PARE DE FUMAR 
Fumar danifica as artérias, eleva a pressão arterial, o que também agride os vasos sanguíneos. Pessoas fumantes têm grandes chances de sofrer um infarto agudo do miocárdio, ter câncer, envelhecimento precoce e vários outros prejuízos.

11. EVITE O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS 
O uso constante, descontrolado e progressivo de bebidas alcoólicas pode comprometer seriamente o bom funcionamento do organismo, levando à hipertensão arterial, dilatação do coração e arritmias cardíacas.

FATORES DE RISCO REVERSÍVEIS:

  • Sedentarismo
  • Obesidade
  • Hipertensão Arterial
  • Estresse
  • Álcool
  • Tabagismo
  • Colesterol elevado
  • Triglicerídeos aumentados
  • Diabetes

EXISTEM FATORES DE RISCO IRREVERSÍVEIS:

  • Idade
  • Sexo
  • Hereditariedade

 


Para saber mais, nos acompanhe nas Redes Sociais e em nosso Site.
www.facebook.com/IcorSantaMaria


1.jpg
25/abr/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


A doença arterial coronariana ocorre mais em homens ou em mulheres?

A coronariopatia é mais frequente em homens, especialmente na faixa etária antes da menopausa nas mulheres. A possível explicação seria o fator protetor dos hormônios femininos. Até a década de 70, a relação era de 2 casos em mulheres para 10 casos em homens. No entanto, nos dias de hoje esta relação passou para 1 caso em mulheres para 02 casos em homens. Esta mudança significativa provavelmente tem relação com o hábito de fumar, estresse (maior participação no mercado de trabalho) e aumento da incidência de Diabete Melitus em mulheres.
 

Dr. Eduardo Radins (CRM 15471)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


A banana é uma fruta rica em potássio. Essa particularidade pode prejudicar o coração? 

Os pacientes portadores de insuficiência cardíaca e hipertensão arterial, frequentemente usam diuréticos, drogas boas mas que retiram potássio do organismo. O potássio é considerado o “rei dos eletrólitos”, e sua falta provoca alterações na contratilidade e nos batimentos do coração, propiciando o aparecimento de arritmias que podem ser fatais. A banana por ser riquíssima em potássio, faz bem ao coração auxiliando na reposição deste eletrólito, e melhorando por consequência o funcionamento cardíaco.

 

Drª. Irene Düvelius Barros
Nutricionista


A ansiedade pode “atacar” o coração?

A ansiedade crônica ( sintomas persistentes por pelo menos 06 meses ) está relacionada ao aumento do número de infartos do miocárdio, desencadeia ou piora os níveis de hipertensão arterial, provoca arritmias e aumenta o número de internações hospitalares em cardiopatas. A explicação estaria nas alterações hormonais, da pressão arterial sistêmica, da coagulação e do estilo de vida ( ansiosos fumam e bebem mais, alimentam-se mal, não exercitam-se e trabalham exageradamente ). Episódios agudos de ansiedade podem provocar crises hipertensivas e suas consequências. Porém, não há evidência científica de que o tratamento adequado da ansiedade reduz o índice destas cardiopatias.

 

Dr. Eduardo Radins (CRM 15471)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


 


ilustrasi-jantung-sehat_20150903_141602.jpg
25/abr/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


Quais os alimentos para prevenção de incipiente ateromatose aorta?

A ateromatose é um processo difuso que pode acometer todos os vasos, inclusive a aorta. Isso acontece pelo somatório de fatores de risco durante a vida. São eles: hereditariedade, hipertensão arterial sistêmica, colesterol e/ou triglicerídeos altos, diabetes, tabagismo, sedentarismo, idade avançada. Assim, para evitar o aceleramento da aterosclerose é importante corrigir esses fatores. Deve-se evitar frituras, gorduras de origem animal, fastfoods e ingerir moderadamente carboidratos (doces, massas, pães, etc).Os alimentos recomendados são as verduras, frutas, peixes, oleaginosas como castanha-do-pará, nozes (em pequena quantidade) e azeite de oliva extravirgem.

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


Quando o ecocardiograma é indicado?

Este exame usa as propriedades do ultrassom para formar imagens do coração em movimento. Pode-se avaliar as válvulas, dimensões, espessura, capacidade de contração e distensão das cavidades cardíacas. Utiliza-se na investigação de insuficiência cardíaca, doenças das válvulas, hipertrofia ventricular ( especialmente em hipertensos), acompanhamento de drogas cardiotóxicas, suspeita de cardiopatia congênita, doenças da artéria aorta e do pericárdio.

 

Dr. Eduardo Radins (CRM 15471)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


Quais os fatores que predeterminam o surgimento de varizes?

As varizes em sua maioria são causadas por fatores genéticos (hereditários) e agravadas por outros fatores que surgem no decorrer da vida, como obesidade, uso de hormônios estrogênicos em anticoncepcionais ou na reposição da menopausa, celulite, sedentarismo, calçados com salto alto ou múltiplas gestações. As varizes de causa genética costumam ser de tamanho grande e necessitam muitas vezes de tratamento cirúrgico. As varizes que se desenvolvem no decorrer da vida associadas a fatores agravantes são de tamanho pequeno ou médio, e podem ser tratadas através de esclerose ou aplicação.

 

Dr. Clóvis Konopka (CRM 16308)
Angiologista e Cirurgião Vascular do Instituto do Coração – ICOR


Meu médico, no exame de sangue, detectou que tenho o colesterol “bom” muito baixo. O que posso fazer para melhorá-lo e qual a influência deste colesterol no coração. É hereditário?

O colesterol “bom” (HDL) é um fator de proteção contra os problemas de coração do tipo angina, infarto, pois tem ação estabilizadora sobre as placas ateromatosas (placas de gordura), e tende a retirar o colesterol ruim destas placas e eliminá-lo. As pessoas nascem com um nível de colesterol bom (HDL) que se mantém durante a vida, embora alguns fatores podem melhorá-lo: atividade física, principalmente aeróbica (caminhada, bicicleta, esteira, hidroginástica), e ingestão de peixes (salmão, atum), nozes, amêndoas, amendoim. Não existem remédios eficazes que comprovem um aumento significativo do colesterol HDL nem comprovação que este aumento previna a cardiopatia.

 

Dr. Antonio Vicente Aita (CRM 6444)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


Por que idosos que são acometidos de derrame cerebral, frequentemente, ficam em estado comatoso?

Geralmente, os pacientes idosos têm aterosclerose difusa com acometimento maior do fluxo sanguíneo cerebral. Quando ocorre um “derrame” (AVC), os pacientes já têm episódios anteriores de isquemias cerebrais. Então, a probabilidade de sequelas incapacitantes são maiores, ainda, muitas vezes, ficam dependentes de respiração artificial, em ambiente hospitalar, suscetíveis à infecções que quase sempre determinam o óbito.

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


Como identificar quando uma pessoa está convulsionando? O que acontece no organismo?

A convulsão se caracteriza por perda súbita da consciência ou precedida de abalos musculares na face ou membros. Logo ocorre queda ao solo se a pessoa estiver em pé, seguido de movimentos contraturais dos músculos do corpo. Isso dura uns cinco minutos, se acompanha de salivação, algumas vezes incontinência urinária ou fecal e coloração cianótica da pele.

 

Dr. Jorge Lauda Filho
Neurologista do HCAA


 


Fotolia_61628748_Subscription_Monthly_XXL-1024x576.jpg
25/abr/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


Nunca fiz cirurgia. Como saberei se sou alérgica a algum tipo de anestesia?

Reações alérgicas às drogas anestésicas usadas atualmente são muito raras. Durante uma cirurgia são usadas outras drogas (analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, etc) com maior possibilidade de desencadear reações alérgicas, sendo o choque anafilático a mais temida, pois envolve uma taxa de mortalidade de 3,4%, mesmo com o tratamento adequado em instituições hospitalares bem equipadas. Toda reação alérgica prévia deve ser informada ao seu médico que saberá orientá-lo(a) quanto a conduta mais adequada para o seu caso.

 

Dr. Jose Luiz Soares Doval
Anestesista


Se eu praticar a meditação diariamente, esta prática, poderá descontrair as coronárias que estiverem contraídas devido a ansiedade?

Sim. Se você praticar a meditação diariamente você estará usando uma técnica de relaxamento que levará a descontração do organismo como um todo. Assim, isso também se refletirá no aparelho cardiovascular, diminuindo “a contração” das coronárias. Sabe-se que pessoas mais ansiosas liberam mais catecolaminas que elevam a pressão arterial, aumentam a freqüência cardíaca e predispõem a espasmos coronarianos.

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


Tenho 49 anos. Realizei os exames de cintilografia miocárdica de perfusão em esforço/ repouso e o de escore de cálcio coronário, que constataram isquemia miocárdica silenciosa e presença de calcificação?

Os dados fornecidos de cintilografia não mostraram isquemia, mas permite inferir que não existe alteração na perfusão (na circulação) do miocárdio (músculo cardíaco) importante e que o escore de cálcio, se alterado, não está se correlacionando com alterações importantes no funcionamento do coração atualmente (o escore de cálcio indica possibilidade de eventos cardiovasculares futuros, ao longo do tempo). Pelos dados fornecidos atualmente podemos considerar que o senhor tem uma cardiopatia isquêmica compensada.
 

 

Dr. Antonio Vicente Aita (CRM 6444)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR


Meu marido fez cirurgia de aneurisma da aorta há 4 meses. Ele pode voltar a trabalhar?

Quando é realizada a correção de um aneurisma de aorta o paciente pode retomar progressivamente suas atividades habituais entre 30 a 45 dias após cirurgia. A única ressalva é quando a cirurgia ocorreu na aorta abdominal, quando é recomendável evitar esforços físicos em excesso pelos primeiros 3 meses, a fim de evitar o aparecimento de hérnias na cicatriz cirúrgica.

 

Dr. Clóvis Konopka (CRM 16308)
Angiologista e Cirurgião Vascular do Instituto do Coração – ICOR


Quais os cuidados que o paciente deve ter quando possui insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca, ou “coração fraco” pode ter diversas causas, as principais são devido ao infarto e hipertensão arterial mal controlada. Os fármacos atualmente disponíveis mudaram a evolução desta doença pra melhor. Muitos doentes normalizam a função cardíaca com o tratamento, mas com a cessação do uso das medicações a função cardíaca volta a deteriorar-se. Os maiores inimigos da insuficiência cardíaca são o abuso de sal (sódio) na dieta e o abandono do tratamento. Portanto, todo portador de insuficiência cardíaca deve manter um controle rigoroso da ingestão de sal, fazer uso correto das medicações e visitar regularmente o seu cardiologista para ajuste das medicações e prescrição de atividade física.

 

Dr. Marcos Cavalheiro
Cardiologista


 


1487342553971-1.jpg
25/abr/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


O que é filtro de veia cava e para que serve?

O filtro para veia cava inferior é um dispositivo metálico implantado na parte infra-renal da veia cava inferior, com o objetivo de impedir a passagem de coágulos (trombos), que possam se soltar das veias dos membros inferiores, migrando em direção aos pulmões. Este dispositivo é usado para tentar evitar uma das mais temidas complicações da Trombose Venosa Profunda (TVP) dos membros inferiores, a qual pode ser fatal, que é a embolia pulmonar.
Agora, o Filtro, não é a primeira escolha para a prevenção de complicações da TVP. Ele é uma alternativa para aqueles pacientes que por algum motivo não podem fazer uso de drogas Anticoagulantes, as quais são a primeira opção de tratamento para esta patologia.
A instalação do Filtro é feita de forma endovascular, através de punção da veia femoral ou da veia jugular, geralmente com anestesia local, sendo um procedimento de curta duração. Hoje, já existem filtros “resgatáveis”, pois, dependendo de sua indicação, ele pode ser retirado após algum tempo, quando não há mais preocupação com o desprendimento de trombos relacionados à TVP.

 

Dr. Jeferson F. Aita (CRM 23730)
Cirurgião Cardiovascular do Instituto do Coração – ICOR


Um paciente que fez cirurgia cardíaca, por quanto tempo deve dormir de barriga para cima?

O pós-operatório varia de paciente para paciente, oscilando desde uma cicatrização rápida até uma deiscência de sutura com necessidade de reintervenção. Mas a regra é que após trinta dias, a cicatrização esteja bem avançada e já se permita dormir de lado. É recomendável fazer a revisão de cicatrização, com alguém da equipe cirúrgica, para verificar se o esterno não está instável. É um exame simples que não leva mais que cinco minutos, e aí sim ficará liberado com tranqüilidade.

 

Dr. Luiz Bragança de Moraes (CRM 8661)
Cardiologista e Cirurgião Cardíaco do Instituto do Coração – ICOR


Tenho que extrair um dente e sou hipertensa. Que tipo de anestésico o dentista pode usar?

Andressa, o seu cirurgião dentista pode utilizar o anestésico habitual, ou seja, um ou dois tubetes de xilocaína com epinefrina. Embora, a epinefrina seja um potente vaso constritor a dose nessa solução é muito pequena. Assim, não ocasiona efeito hipotensor, o que permite uma extração mais tranqüila, com menor sangramento e menos dor.

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


O que é ponte intramiocárdica ?

O coração é irrigado pelas artérias coronárias que apresentam um trajeto epicárdico (camada externa do coração). Porém, alguns pacientes (0,5 à 40%) mostram uma ou mais artérias coronárias com um trajeto intramiocárdico (músculo cardíaco). Existem pontes completas, ou seja, com segmentos totalmente envolvidos por músculo e pontes incompletas (não totalmente envolvidos). Durante o funcionamento do coração algumas pontes sofrem estreitamento na sístole (contração), alguns na diástole (relaxamento) e outros na sístole e a diástole. Isso tudo acarreta estreitamento da luz da artéria que pode levar a angina, ao infarto agudo do miocárdio e raramente a morte súbita.

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


Meu pai morreu subitamente de ataque cardíaco. Isso pode acontecer comigo também?

Embora existam inúmeras causas para morte súbita, a principal delas é a cardiopatia isquêmica, ou seja, obstrução das artérias coronárias, que oferecem suprimento sanguíneo ao coração. Estima-se que cerca de 75 % dos pacientes com morte súbita apresentem obstrução das artérias coronárias. A fisiopatologia da morte súbita, nestes casos, é a falta de suprimento sanguíneo para o coração, com decorrente arritmia e morte. Cada avaliação de risco deve ser individualizada e devem ser considerados a presença de fatores de risco cardiovasculares e a sintomatologia. No entanto, em jovens, síndromes arrítmicas devem ser consideradas onde o principal sintoma, na maioria das vezes é desmaio.

 

Dr. Marcos B. F. Cavalheiro
Médico Cardiologista


 


heart.jpg
25/abr/2018

Nesta página, você confere dicas de saúde e os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


O que é o abuso de álcool?

O abuso de álcool é diferente do alcoolismo porque não inclui uma vontade incontrolável de beber, perda do controle ou dependência física, e ainda, o abuso de álcool tem menos chances de incluir tolerância do que o alcoolismo (a necessidade de aumentar as quantias de álcool para ficar “alto”).

 

Fonte: Site – Minha Vida


Meu pai teve arritmia cardíaca. Posteriormente, realizou alguns exames que não detectaram problemas. Como isso é possível?

A arritmia cardíaca caracteriza-se por alterações do ritmo cardíaco que pode ser evidenciado através de exame clínico e complementares rotineiros, porém, as vezes necessita de estudos mais especializados tipo: Holter, estudo eletrofisiológico, genético. A arritmia cardíaca é uma sub-especialidade da cardiologia e dentro desta, apresenta uma gama imensa de manifestações, podendo se apresentar com alterações do ritmo normal, por exemplo “arritmia fásica” variando com as fases da respiração até arritmias de elevada complexidade levando a risco de morte súbita por taquicardia, fibrilação e bloqueios cardíacos. Em vista desta amplitude de manifestações pode variar do normal ao patológico, e várias vezes ao retirar o fator que ocasiona, deixa de existir a manifestação “Arritmia Cardíaca”.

 

Dr. Edes Oliveira Cavalheiro ( CRM 11461)
Cardiologista do Instituto do Coração – ICOR


Meu médico diagnosticou que tenho uma arritmia cardíaca! Estou correndo risco de vida? Que tipo de atividades posso realizar? Devo consultar um especialista para receber o tratamento indicado?

Qualquer alteração no ritmo normal do coração é denominada de arritmias cardíacas. Nem todas as arritmias apresentam-se com risco de vida, sendo algumas delas benignas. Pacientes com diagnóstico ou suspeita de arritmias devem consultar um cardiologista, que determinará a gravidade do problema e vai orientar a melhor forma de tratamento. Os casos de maior complexidade ou com necessidade de tratamento invasivo podem exigir a avaliação de um especialista, chamado de Eletrofisiologista.

 

Dr. Diego Chemello (CRM 26116)
Cardiologista especialista em Eletrofisiologia do Instituto do Coração – ICOR

 


Quais os sintomas e o melhor tratamento de um paciente com obstrução de carótidas?

O AVC (acidente vascular cerebral) desde sua forma mais leve, o chamado AIT (ataque isquêmico transitório), até o infarto cerebral extenso, causador de sequelas irreparáveis é responsável pela terceira causa de morte e alto custo social. Mas a obstrução das carótidas é muitas vezes SILENCIOSA. Ao contrário do infarto do miocárdio, que comumente nos dá a chance de procurar auxílio e rende histórias de um tratamento sem sequelas contadas no Calçadão, o paciente que sobrevive a um AVC ou está acamado.

O melhor remédio é sempre a prevenção: diagnóstico precoce e controle dos fatores de risco: tabagismo, diabetes, dislipidemia e hipertensão. A obstrução grave é tratada por cirurgia endarterectomia de carótida, há mais de 50 anos, o método mais seguro e comprovado na prevenção do AVC, realizado pela especialidade de Angiologia e Cirurgia Vascular.

 

Dr. Luiz Paulo Brilhante Wolle (CRM 8661)
Cirurgião Vascular do Instituto do Coração – ICOR


 

 


heartdiseasemigraine-56a466423df78cf77282330a-1200x619.jpg
25/abr/2018

Nesta página, você confere dicas de saúde e os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


Quais os benefícios da clara do ovo?

A clara de ovo é uma das principais fontes de proteína, e contribui com mais da metade das proteínas que contém um ovo inteiro, cerca de 4 gramas, e não possui nenhuma gordura, a menos que o ovo seja consumido frito. Um ovo contribui para a dieta com pouco mais de 70 calorias, mas se você consumir apenas a clara do ovo, esta contribui com apenas cerca de 15 calorias. O ovo fornece colesterol, que provém em sua totalidade da gema, por isso que as pessoas com colesterol alto devem comer apenas a clara dos ovos, porque não possui nada desses lipídios. Uma clara não contém absolutamente nenhuma gordura, em comparação com a gema, que tem cerca de 5 gramas de gordura, das quais 2 gramas são saturadas.

 

Fonte: Dicas de Saúde


Recentemente iniciei com sintomas de aceleração dos batimentos cardíacos. Meu médico diagnosticou que os sintomas estão associados a fibrilação atrial. Essa arritmia tem cura? Devo me preocupar?

Fibrilação atrial é uma arritmia relativamente comum, apresentando maior incidência com o aumento da idade. Episódios de fibrilação atrial podem ser prevenidos com o uso de medicações antiarrítmicas. A ablação por cateter pode, em casos selecionados, controlar os sintomas e reduzir os episódios de fibrilação atrial. Além disso, alguns pacientes com fibrilação atrial apresentam risco elevado de eventos tromboembólicos (como infarto, acidente vascular), necessitando usar medicações anticoagulantes para prevenir tais eventos.

 

Dr. Diego Chemello (CRM 26116)
Cardiologista especialista em Eletrofisiologia do Instituto do Coração – ICOR


Qual melhor momento de ingerir líquidos?

Os líquidos devem ser consumidos 20 minutos antes ou 60 minutos após as refeições. Quando optar por ingeri-los nas refeições é indicado no máximo um copo pequeno, com capacidade de 150 a 200 ml.

 

Fonte: Dieta & saúde


Como é ablação por cateter da fibrilação atrial?

A ablação por cateter da fibrilação atrial está indicada quando os pacientes não toleram as medicações ou quando elas falham em manter o ritmo normal do coração (sinusal). Consiste na aplicação de energia de radiofrequência através de cateteres que cauterizam o tecido cardíaco ao redor das veias pulmonares no átrio esquerdo e em alguns outros pontos (locais responsáveis pelo surgimento da fibrilação atrial). Essa cauterização promove uma cicatriz que bloqueia a passagem de estímulo elétrico anormal das veias pulmonares para o átrio e evita a fibrilação atrial. sonda de ultrassom intracardíaco é introduzida no átrio direito. Um sonda de ultrassom é introduzida no átrio direito através de uma veia na perna esquerda.

Através ultrassom, visualiza-se a parede entre os átrios e com uma agulha atravessa-a, colocando dois cateteres (um para localizar as veias pulmonares e outro para realizar a cauterização). Dessa forma, são realizadas várias aplicações de radiofrequência que cauterizam o tecido entre as veias pulmonares e os átrios. A taxa de sucesso, dependendo do tipo de fibrilação atrial, pode chegar a 85%, com risco de complicações menor que 1%. Portanto, a ablação por cateter da fibrilação atrial tem se tornado um excelente método para o tratamento definitivo da fibrilação atrial.

 

Fonte: Site – Arritmia cardíaca


Como identificar um acidente vascular hemorrágico?

O acidente vascular cerebral hemorrágico, tem o quadro clínico agudo, caracterizado por dor de cabeça súbita e intensa, principalmente na região da nuca, algumas vezes acompanhada da perda de consciência, vômitos e paralisia de um lado do corpo. Pode evoluir para coma. É uma emergência, necessitando de tratamento imediato, devido ao risco de óbito pouco tempo após a instalação do acidente vascular.

 

Dr. Juarez da Silva Lopes
Neurologista


 

 


MARCA HORIZONTAL_ICOR.png 1

O Instituto do Coração de Santa Maria (ICOR) é referência na área da saúde. Há mais de 20 anos cuida do coração da cidade e região oferecendo um atendimento ético, humanizado e de qualidade.

2018 ICOR. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Rede de Empreendedores.