Você está no

BLOG DO ICOR

CAPA.png
05/nov/2020

Problemas Cardíacos: cientistas estudam como Covid-19 afeta o coração.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), pessoas com doenças cardiovasculares, hipertensos e diabéticos são mais propensas a desenvolver complicações da Covid-19, causada pelo novo Coronavírus.

Um estudo publicado pela Revista Científica Americana, JAMA, acompanhou 416 pacientes que foram hospitalizados na Província de Wuhan, na China, o primeiro epicentro da pandemia. Os pacientes tinham de 21 a 95 anos e 19,7% deles (quase 1 em cada 5) apresentavam problemas cardíacos.

Segundo a pesquisa, a ação desse vírus piora problemas cardíacos já existentes e provoca uma inflamação no músculo cardíaco em pacientes sem nenhuma doença no coração.

O estudo classifica esse efeito como uma tempestade inflamatória, onde o vírus se liga as células do corpo humano por uma enzima chamada de Ac-2 muito comum no pulmão, por isso o COVID-19 provoca uma síndrome respiratória grave.

No entanto, essa enzima Ac-2 também está presente no coração, o que deixa o órgão mais enfraquecido e com dificuldade de bombear o sangue para todas as partes do corpo. Deste modo, os médicos recomendam que os cuidados devem ser redobrados em quem tem algum problema no coração.

 

PORTANTO CARDÍACOS E HIPERTENSOS

Pessoas que têm problema no coração e na pressão passam a sofrer mais porque o vírus age especialmente no coração deixando ele mais enfraquecido tendo dificuldade de bombear o sangue para todas as partes do corpo.

Esse grupo de risco deve ficar muito atento se tiver sinais de:

  • nariz entupido com dificuldade para respirar;
  • dor de garganta;
  • febre alta;
  • falta de ar;
  • desconforto para respirar ;
  • unhas e lábios roxos. 

OBS: Caso apresente esses sintomas deve procurar imediatamente um unidade de saúde próxima.

ATENÇÃO DIABÉTICOS

O paciente que tem diabetes possui uma alteração no seu sistema de defesa, o seu sistema imunológico, ele é mais lento para atacar e destruir algumas bactérias e vírus. O que facilita coronavírus causar uma infecção mais grave. 

MEDIDAS DE PREVENÇÃO DO COVID-19

Esses grupos devem se proteger evitando:

  • Circular em lugares públicos
  • Não receber visitas
  • Não dividir alimentos

É muito importante para que todos os pacientes que tenham pressão alta, diabetes controlem as suas doenças de base usando devidamente e corretamente as suas medicações. E evitem estar circulando em público. Fique em casa!

Veja os cuidados específicos que esses pacientes devem tomar:

Controlar as doenças cardiovasculares, que podem ser:

  • insuficiência cardíaca;
  • doença coronária;
  • infarto do miocárdio;
  • acidente vascular cerebral (AVC), entre outras.

Com acompanhamento médico e os remédios indicados, estar com as vacinas em dia. procurar ajuda médica imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas de Covid-19

Principais medidas de prevenção ao novo Coronavírus:

☑ Lave bem as mãos água e sabonete por, pelo menos, 20 segundos, e utilize toalhas de papel para secá-las.

☑ Utilize álcool gel, tanto para higienizar as mãos, como demais objetos que forem tocados.

☑ Evite tocar nos olhos, nariz e boca caso as suas mãos não estiverem limpas;

☑ Evite contato próximo com pessoas doentes;

☑ Procure ficar em casa enquanto estiver gripado;

☑ Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar com um lenço descartável;

☑ Evite frequentar lugares com aglomerações e tente permanecer em casa o máximo que puder;

☑ Evite compartilhar chimarrão, copos e canecas.

É importante salientar que, caso você apresente sintomas como febre, coriza, tosse seca e falta de ar, procure uma unidade de saúde imediatamente.

Faça a sua parte e previna-se!
O Icor estará sempre disponível para ajudá-lo!

📌 Rua José Bonifácio, 2355 – Sala 105 – Policlínica Wilson Aita.
📞 (55) 3217-1919

📌 Rua Pinheiro Machado, 2380. Bloco A. Salas 203 e 204.
📞 (55) 3222-1333

📌 Av. Presidente Vargas, 2291- Subsolo do Hospital de Caridade.
📞 (55) 3222-9888

Ou fale conosco através dos nossos canais digitais:
📧 icor@icor.com.br
🌐 http://www.icor.com.br/

Fontes:

  • Organização Mundial da Saúde (OMS)
  • Agência Brasil

Music-Store-Etsy-Banner-2.png
05/nov/2020

Como a COVID-19 é transmitida?

  • O coronavírus, que provoca a COVID 19, pode ser transmitido de uma pessoa para outra. A transmissão pode ocorrer através de gotículas de saliva ou muco, expelidos pela boca ou narinas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra.
  • A transmissão também pode ocorrer através de partículas virais transferidas ao apertar as mãos ou compartilhar um objeto, como por exemplo beber no mesmo copo que um portador do vírus.  
  • Na maioria das vezes, é evidente se uma pessoa está doente, mas já houve relatos de portadores do vírus ainda sem sintomas aparentes e que já podiam transmitir a doença.
  • Segundo a OMS deve-se manter uma distância de pelo menos 1 metro da pessoa com sintomas evidentes. 
  • Quarentenas e restrições de viagens atualmente em vigor em muitos países também se destinam a ajudar a quebrar a cadeia de transmissão.
  • As autoridades de saúde pública podem recomendar outras abordagens para pessoas expostas ao vírus, incluindo isolamento em casa e monitoramento de sintomas por um período de tempo (geralmente 14 dias), dependendo do nível de risco de exposição.  
  • Novas pesquisas sobre as formas de transmissão ainda estão sendo realizadas e a OMS continuará compartilhando as descobertas atualizadas. 
 

Pessoas sem sintomas podem transmitir o coronavírus?

  • O risco de ser contaminado por uma pessoa sem sintomas é baixo. No entanto, muitas pessoas sentem apenas sintomas leves, especialmente nos estágios iniciais. 
  •  Por isso, é possível pegar COVID-19 de alguém que teve apenas uma tosse leve sem se sentir doente, por exemplo.
 

Produtos vindos da China podem conter o vírus?

  • Não. O Ministério da Saúde afirma que não há nenhuma evidência que produtos enviados da China para o Brasil tragam o novo coronavírus. Não há razão para suspeitar que os pacotes da China abrigam COVID-19. Lembre-se, este é um vírus respiratório semelhante ao da gripe. Não paramos de receber pacotes da China durante a temporada de gripe. Devemos seguir a mesma lógica para esse novo patógeno.
  • Entretanto, é possível que o vírus possa estar viável em superfícies frequentemente tocadas, como uma maçaneta de porta por exemplo, embora informações precoces sugiram que partículas virais provavelmente sobreviverão por apenas algumas horas, de acordo com a OMS.
  • Assim, as medidas preventivas pessoais, como lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com um desinfetante à base de álcool e limpar as superfícies frequentemente tocadas com desinfetantes ou um spray de limpeza doméstico, são altamente recomendáveis.
 

Humanos podem ser contaminados por coronavírus por fonte animal?

  • Coronavírus é uma família de vírus comuns em animais.
  • Ocasionalmente, pessoas são infectadas com esses vírus e podem transmitir para outras pessoas.
  • O vírus SARS-CoV, por exemplo, foi associado a civetas (uma espécie de gato selvagem) e o MERS-CoV a dromedários.
  • Possíveis fontes animais de COVID-19 ainda não foram confirmadas. 
  • Para se proteger, evite contato direto com animais selvagens e com superfícies em contato com eles e mantenha boas práticas de segurança alimentar ao manusear carnes cruas.
  • Não há evidências de que animais domésticos, como gatos ou cães, tenham sido infectados ou possam transmitir o vírus que causa a COVID-19.

 

 

Fonte: Via- Unimed Brasil, Ministério da Saúde, Hospital Albert Einstein, Hospital São Domingos, UOL Notícias

 

Faça a sua parte e previna-se!
O Icor estará sempre disponível para o ajudar!

📌 Rua José Bonifácio, 2355 – Sala 105 – Policlínica Wilson Aita.
📞 (55) 3217-1919

📌 Rua Pinheiro Machado, 2380. Bloco A. Salas 203 e 204.
📞 (55) 3222-1333

📌 Av. Presidente Vargas, 2291- Subsolo do Hospital de Caridade.
📞 (55) 3222-9888

Ou fale conosco através dos nossos canais digitais:
📧 icor@icor.com.br

 

Aqui no Icor, você encontra a melhor assistência e qualidade no atendimento. Nossas unidades realizam exames cardiológicos, vasculares, de cateterismo cardíaco e vascular com diagnósticos seguros e confiáveis.

Além disso, contamos com uma equipe médica altamente qualificada. São profissionais com grande experiência nas suas áreas de atuação e um quadro de funcionários que fornecem todo o suporte que o paciente merece e busca na hora de realizar seus exames.

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas.

Acesse nosso site e confira a lista completa de exames e os nossos profissionais.


CORONA.png
05/nov/2020

O que é o coronavírus?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), coronavírus é uma família de vírus que pode causar doenças em animais ou humanos. Em humanos, esses vírus provocam infecções respiratórias que podem ser desde um resfriado comum até doenças mais severas como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). O novo coronavírus causa a doença chamada COVID-19.

Entenda o que é COVID-19:  é a doença infecciosa causada pelo mais recente coronavírus descoberto. O vírus e a doença eram desconhecidos antes do surto iniciado em Wuhan, na China, em dezembro de 2019.

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são:

  • febre
  • cansaço
  • tosse seca

Houve alguns relatos de sintomas gastrointestinais (náusea, vômito e diarreia) antes da ocorrência de sintomas respiratórios, mas esse é principalmente um vírus respiratório. Alguns pacientes podem também apresentar dores, congestão nasal, coriza e dor de garganta. Os sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. 

Até o momento, a maioria das pessoas que ficaram doentes se recuperaram do COVID-19. O tempo de recuperação varia e, para pessoas que não estão gravemente doentes, pode ser semelhante ao período de duração de uma gripe comum.

Pessoas que desenvolvem pneumonia podem levar mais tempo para se recuperar (dias a semanas).
Pessoas com febre (maior que 37,8ºC), tosse e dificuldade para respirar e que tiverem viajado ou tido contato com pessoas vindas de países com transmissão local devem procurar atendimento médico.

Qual a gravidade do COVID-19? 

  • Algumas pessoas infectadas pelo vírus podem não apresentar sintomas ou apresentar sintomas discretos. A maioria das pessoas infectadas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial.
  • Cerca de uma em cada seis pessoas com COVID-19 pode desenvolver a doença em sua forma mais grave.

Pessoas idosas e/ou com comorbidades, ou seja, outras doenças associadas como por exemplo:

  • pressão alta
  • problemas cardíacos
  • diabetes
  • pessoas em tratamento para câncer, têm maior probabilidade de desenvolver doença respiratória grave.
Fonte: Via- Unimed Brasil, Ministério da Saúde, Hospital Albert Einstein, Hospital São Domingos, UOL Notícias

 

 

Faça a sua parte e previna-se!
O Icor estará sempre disponível para o ajudar!

📌 Rua José Bonifácio, 2355 – Sala 105 – Policlínica Wilson Aita.
📞 (55) 3217-1919

📌 Rua Pinheiro Machado, 2380. Bloco A. Salas 203 e 204.
📞 (55) 3222-1333

📌 Av. Presidente Vargas, 2291- Subsolo do Hospital de Caridade.
📞 (55) 3222-9888

Ou fale conosco através dos nossos canais digitais:
📧 icor@icor.com.br
🌐 http://www.icor.com.br/

 

Aqui no Icor, você encontra a melhor assistência e qualidade no atendimento. Nossas unidades realizam exames cardiológicos, vasculares, de cateterismo cardíaco e vascular com diagnósticos seguros e confiáveis.

Além disso, contamos com uma equipe médica altamente qualificada. São profissionais com grande experiência nas suas áreas de atuação e um quadro de funcionários que fornecem todo o suporte que o paciente merece e busca na hora de realizar seus exames.

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas.

Acesse nosso site e confira a lista completa de exames e os nossos profissionais.


COSTAS.jpg
05/nov/2020

A dor nas costas está entre as queixas físicas mais comuns. Ela pode ser leve ou extrema, rápida ou constante.


Existem várias causas, fatores de risco e formas de prevenção para a dor nas costas. Essa dor pode originar na coluna vertebral, músculos, nervos ou a partir de outras estruturas na região. Ela também pode irradiar a partir de outros órgãos, como os rins ou ovários.

Causas:

  • Quedas
  • Estresse
  • Exercícios praticados da maneira errada ou com carga muito alta
  • Má postura
  • Sedentarismo
  • Hérnia de disco
  • Ciática
  • artrose
  • Lombalgia
  • Dorsalgia
  • Espondilite Anquilosante
  • Espondilolistese
  • Artrite reumatoide
  • Alterações na coluna como lordose, escoliose e cifose
  • Estenose espinhal
  • Aneurisma na aorta
  • Síndromes de dor músculo-esquelética, como fibromialgia ou polimialgia
  • Infecções dos ossos da coluna vertebral como osteomielite

Uma dor decorrente de outros órgãos também pode ser sentida nas costas. Distúrbios intra-abdominais pode causar dor irradiada nas costas, entre eles:

  • Apendicite
  • Cálculo renal
  • Pedra na vesícula
  • Infecções da bexiga
  • Endometriose
  • Câncer de ovário
  • Cistos ovarianos
  • Torção testicular

Na consulta médica

Você sabe que suas costas doem, mas você pode não saber por que, ou o que fazer sobre isso. Ao chegar ao médico, ele fará uma série de perguntas sobre a área das costas que está doendo, seus hábitos como alimentação e prática de atividade física, além de pedir informações sobre o seu trabalho e ritmo de sono.

Durante a consulta, você deve responder perguntas de seu médico sobre a sua dor nas costas, incluindo a frequência da dor, localização e intensidade. Entre as perguntas que seu médico pode fazer na consulta para descobrir a causa da sua dor nas costas, estão:

  • A sua dor é de apenas um lado ou ambos os lados?
  • Como é a dor que está sentido? É cortante, latejante, ela queima?
  • Esta é a primeira vez que teve dor nas costas?
  • Quando a dor começou? Ela começou de repente?
  • Você sofreu algum acidente recentemente?
  • O que você estava fazendo antes de iniciar a dor? Você estava levantando pesos ou fazendo, estava sentado ou dirigindo?
  • Se você já teve dor nas costas antes, essa dor é semelhante ou diferente?
  • Você sabe a causa de episódios anteriores de dor nas costas?
  • Quanto tempo cada episódio de dor nas costas costuma durar?
  • Você sente a dor em qualquer lugar que não seja no quadril, coxa, perna ou pé?
  • Você tem alguma dormência ou formigamento?
  • Qualquer fraqueza ou perda de função em sua perna ou em outro lugar?
  • O que piora a dor? Elevação, torção, em pé ou sentado por longos períodos de tempo?
  • O que faz você se sentir melhor?
  • Existem outros sintomas presentes?
  • Perda de peso?
  • Febre?
  • Dificuldade de urinar?
  • Mudança nos hábitos intestinais?

Diagnóstico

Durante o exame físico, o seu médico irá tentar identificar a localização da dor e descobrir como isso afeta o seu movimento. Você será solicitado a: sentar, levantar e andar.

O seu médico pode pedir para você tentar andar na ponta dos pés e, em seguida, sobre os calcanhares. Também vai pedir para você levantar as pernas para cima, enquanto está deitado. Se a dor é pior quando você faz isso, você pode ter dor ciática, especialmente se você também sentir dormência ou formigamento em uma de suas pernas.

Seu médico também vai mover suas pernas em diferentes posições, incluindo dobrar e esticar os joelhos. Ao mesmo tempo, o médico está avaliando sua força, bem como a sua capacidade de se mover.

Para testar a função do nervo, o médico irá usar um equipamento para verificar os seus reflexos. Também irá tocar suas pernas em muitos locais, com um pino ou cotonete ou outros objetos para testar o seu sistema nervoso sensorial. O seu médico irá perguntar se há áreas onde a sensação do pino, algodão, ou de penas incomoda.

 

Exames que podem ser encomendados incluem:

Tomografia computadorizada da parte inferior da coluna ou Ressonância magnética da coluna lombar
mielograma (um raio-x ou tomografia computadorizada da coluna depois de corante foi injetado na coluna vertebral)
um raio-x.

Prevenção

O exercício é importante para a prevenção de dores nas costas no futuro e através disso você pode:

  • Melhorar a sua postura
  • Fortalecer as costas e melhorar a flexibilidade
  • Perder peso
  • Evitar quedas
  • Um programa de exercício completo deve incluir atividade aeróbica (como caminhar, nadar ou andar de
  • Bicicleta ergométrica), bem como alongamento e treinamento de força.

Para evitar a dor nas costas, também é muito importante aprender a levantar e abaixar adequadamente.

Tratamento

O tratamento para dor nas costas vai variar conforme a causa do problema. Pode incluir repouso, medicação, tratamento quiroprático, acupuntura, fisioterapia e até mesmo cirurgia.

Procure seu médico!

Fonte: Site  Minha vida


MARCA HORIZONTAL_ICOR.png 1

O Instituto do Coração de Santa Maria (ICOR) é referência na área da saúde. Há mais de 20 anos cuida do coração da cidade e região oferecendo um atendimento ético, humanizado e de qualidade.

2018 ICOR. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Rede de Empreendedores.