Você está no

BLOG DO ICOR

ARBITRAJE1702-1-1200x630.jpg
11/dez/2018

Nesta página, os profissionais do ICOR e parceiros respondem perguntas e esclarecem dúvidas de pacientes. Confira abaixo:


Como é realizado o procedimento da reabilitação cardíaca e respiratória?

👉 A reabilitação cardiorrespiratória, consiste na realização de um programa de exercícios físicos para prevenção e recuperação de problemas decorrentes de doenças cardíacas e/ou respiratórias.

👉 Com o acompanhamento de um fisioterapeuta, pode-se realizar exercícios físicos em esteira ou bicicleta ergométrica, piscina, musculação e, até mesmo, caminhadas ao ar livre.

👉 Sempre considerando as capacidades individuais de cada paciente.

Dr. Antônio Marcos Vargas da Silva
Fisioterapeuta e Doutor em Fisiologia


O que é sopro no coração?

👉 O sopro é um ruído que o médico escuta no tórax do paciente com o estetoscópio, e que pode significar ou não um problema no coração (“sopro inocente”).

👉 O ruído ocorre pela passagem do fluxo de sangue nas veias e artérias ligadas ao coração e nas cavidades internas e válvulas intracardíacas.

👉 É diagnosticado com o exame ecocardiograma colorido, onde se examinam todas as estruturas internas do órgão, vendo a cores, o fluxo do sangue e ouvindo os ruídos intracardíacos.

👉 Se nesse exame não forem constatadas alterações chamamos o sopro ouvido pelo médico como sopro inocente, ou se anormal, evidenciamos o problema que causa a doença (cardiopatia congênita, estreitamento ou insuficiência nas válvulas cardíacas, prolapso de válvula mitral…).

👉 Se o exame ecocardiograma colorido for normal, o paciente não precisa fazer nenhum tratamento e levará uma vida normal, podendo praticar atividades físicas sem restrições.

Dr. Antonio Vicente Aita (CRM 6444)
Cardiologista e Ecocardiografista do Instituto do Coração – ICOR

 


Se o rótulo de um produto traz a informação de que o mesmo é sem colesterol, ou com baixo teor de colesterol, significa que o produto tem pouca gordura?

👉 Produto sem colesterol não é a mesma coisa que produto sem gordura. Para entender isso é bom esclarecer que o colesterol é produzido apenas por animais e só existe em alimentos de origem animal como carne, queijo e ovo, etc.

👉 Um exemplo clássico de gordura sem colesterol são os óleos vegetais (soja, girassol, canola). Alguns óleos vegetais, para chamar atenção do consumidor, colocam no rótulo “sem colesterol” , no entanto todos os óleos vegetais são sem colesterol.

👉 A portaria 27- 1988 da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou que nos rótulos devem ter discriminados os valores nutricionais e o tipo de gorduras de cada produto.

👉 Um alimento para ser considerado como “baixo teor” de colesterol tem que ter no máximo 20 mg de colesterol, para cada 100 gramas ou 10 mg por 100 ml do alimento em questão.

 

Drª. Maristela Beck
Endocrinologista


Como aparecem as úlceras de perna? Qual o tratamento?

👉 As lesões ulceradas de perna originam-se de diversas doenças, desde infecto-parasitarias menos comuns em nosso meio, englobando doenças auto-imunes e até mesmo câncer.

👉 As úlceras mais frequentes estão relacionadas a insuficiência venosa crônica e síndrome pós-trombótica, que ocasionam sofrimento diário e perda importante de qualidade de vida.

👉 O tratamento é direcionado ao tipo de doença que origina a lesão, sendo fundamentais o diagnóstico e manejo adequados visando a plena recuperação funcional e de qualidade de vida.

 

Dr. Luiz Paulo Brilhante Wolle (CRM 8661)
Cirurgião Vascular do Instituto do Coração – ICOR

 


Quais os sintomas da angina e como tratar?

👉 O paciente com angina de peito, geralmente, apresenta dor torácica, que pode ser irradiada para o ombro esquerdo, para a mandíbula ou para o dorso. Caracteriza-se por um aperto e, muitas vezes, os pacientes referem “um sufoco”.

👉 A angina tem várias classificações, sendo as mais frequentes a angina de peito instável e a estável. Isto tem relação com as características da dor, ou seja, frequência, intensidade, duração da dor, se desencadeada ao esforço ou mesmo em repouso, se recente ou não, se alivia com isordil sublingual ou não.

👉 O tratamento será determinado pela apresentação clínica e por exames não invasivos e, principalmente, invasivo (cateterismo cardíaco). E, poderá ser clínico (remédios), intervencionista (angioplastia coronária com stent) ou cirúrgica (pontes de safena e mamária).

 

Dr. Arnoldo Azevedo dos Santos  (CRM 13677)
Cardiologista e Hemodinamicista do Instituto do Coração – ICOR


 

 

Aqui no Icor, você encontra a melhor assistência e qualidade no atendimento. Nossas unidades realizam  exames cardiológicos, vasculares, de cateterismo cardíaco e vascular com diagnósticos seguros e confiáveis. Além disso,  contamos com uma equipe médica altamente qualificada. São profissionais com grande experiência nas suas áreas de atuação e um quadro de funcionários que fornecem todo o suporte que o paciente merece e busca na hora de realizar seus exames.

Acesse nosso site e confira a lista completa de exames e os nossos profissionais.


1487342553971.jpg
11/dez/2018


  • Arritmia cardíaca controlada, distúrbios de condução (bloqueio atrioventricular completo, bloqueio do ramo esquerdo);
  • Marcapasso artificial;
  • Distúrbios eletrolíticos;
  • Uso de medicamentos (digital, betabloqueadores, antagonistas de cálcio, anticoagulantes, insulina);
  • Angina de peito estável;
  • Obesidade acentuada;
  • Osteoporose;
  • Insuficiência hepática;
  • Insuficiência renal.

FASES DA REABILITAÇÃO CARDÍACA

A reabilitação cardíaca está dividida em diversas fases:

  • Fase I (aguda) período de internação hospitalar;
  • Fase II constitui-se na fase de convalescença, em ambiente domiciliar ou intra-hospitalar;
  • Fase III denominada reabilitação em fase crônica, a partir do terceiro mês pós evento cardíaco e
  • Fase IV paciente que podem realizar atividades liberadas pelo médico sem monitorização ou sem supervisão.

 

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NA REABILITAÇÃO CARDÍACA

De acordo com o Consenso, 1997, a equipe multidisciplinar tem sua participação abordada de forma global nos aspectos que envolvem a vida do cardiopata e é fator fundamental para que sejam alcançados os objetivos da reabilitação.

Segundo Sanagua, 1999, a equipe será integrada por: médicos especialistas em RC, fisioterapeutas, profissionais de educação física, nutricionistas, enfermeiros, assistentes sociais, terapeutas educacionais e psicólogos. Na sua constituição deverão ser lembrados os aspectos biológicos, psicológicos e socioculturais.

A complexidade dependerá das características do centro de RC e da quantidade de pacientes incorporados nos programas.

 


As recomendações de reabilitação foram sugeridas por:

  • Professora Viviane Acunha Barbosa
    Profª. Assistente na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
    Professora de Educação Física e Fisioterapeuta
    Pós-graduação em Ginástica Médica e Fisioterapia Respiratória
    Mestre em Educação

REABILITA-1200x638.jpg
11/dez/2018

Conforme o I Consenso Brasileiro de Reabilitação Cardíaca (1997), os programas de RC estão indicados para:

  • Indivíduos preventivos primários, tais como: os portadores de hipertensão arterial, dislipidemias, hiperuricemia, diabetes, tendência à obesidade, etc.
  • Indivíduos preventivos secundários, tais como: portadores de doença coronariana, arritmias cardíacas, pós-infarto do miocárdio, pós-revascularização miocárdica e pós-angioplastia, pós-transplante cardíaco, colocação de marcapasso, pós cirurgias valvulares, etc.

No I Consenso, 1997, encontram-se as contraindicações absolutas e relativas do treinamento convencional e as condições que requerem preocupações especiais.

CONTRAINDICAÇÕES ABSOLUTAS AO TREINAMENTO CONVENCIONAL:

  • Insuficiência cardíaca descompensada;
  • IAM instável, angina estável de grau IV e instável;
  • Miocardite ativa, pericardite aguda;
  • Aneurismas de aorta torácica ou abdominal;
  • Embolias pulmonar ou sistêmica recentes;
  • Tromboflebite, hipertensão pulmonar ou arterial grave não tratada;
  • Estenose aórtica e insuficiência mitral graves;
  • Taquicardia ventricular em repouso;
  • Infecções agudas;
  • Lesão de tronco de coronária esquerda ou equivalente;
  • Não tratadas;
  • Obstrução arterial periférica graus III, IV e V;
  • Retinopatia diabética com deslocamento de retina.

CONTRAINDICAÇÕES RELATIVAS AO TREINAMENTO FÍSICO CONVENCIONAL:

  • Extra-sistolia ventricular Classe II, III e IV de Lown;
  • Arritmia supraventricular de alta freqüência não controlada;
  • Aneurisma ventricular;
  • Estenose aórtica moderada;
  • Cardiomiopatia hipertrófica;
  • Cardiomegalia acentuada;
  • Anemias em geral;
  • Distúrbios metabólicos não-compensados (diabetes, tireotoxicose, mixedema, dislipidemias graves, hiperuricemia);
  • Distúrbios neuromusculares;
  • Músculo-esquelético e osteoarticulares incapacitantes;
  • Distúrbio psiconeuróticos terapia-dependente;
  • Insuficiência respiratória moderada.

As recomendações de reabilitação foram sugeridas por:

  • Professora Viviane Acunha Barbosa
    Profª. Assistente na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
    Professora de Educação Física e Fisioterapeuta
    Pós-graduação em Ginástica Médica e Fisioterapia Respiratória
    Mestre em Educação

caminharrrr.jpg
11/dez/2018

Horário:

Escolha um horário em que normalmente você não esteja cansado. Dê preferência ao período da manhã até às 10 horas, e a tarde após às 17 horas, nos dias ensolarados. Quando se mantém um horário fixo, o organismo se adapta melhor. É aconselhável, se você for cardíaco, que consulte o seu médico para verificar se pode exercitar-se pela manhã sem riscos.

Roupas:

  • Use roupas leves, folgadas e algodão.
  • Evite tecidos sintéticos.
  • O tênis deve estar ajustado, macio.
  • Meias esportivas para evitar bolhas.

Local:

Dê preferência a locais seguros, sem riscos de assalto ou atropelamento, a local sem poluição, em áreas verdes de sua comunidade. Evite local com muitas inclinações ou ladeiras.

RECOMENDAÇÕES PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS

Para qualquer pessoa com mais de 35 anos, o ideal, além do exame clínico convencional, pode ser, a critério de seu médico, a realização de um teste ergométrico para avaliar sua condições cardiovasculares, seu nível de tolerância ao exercício e sua resposta eletrocardiográfica ao exercício.

O teste permite ao seu médico classificar sua capacidade cardiorrespiratória atual. A caminhada não combina com o uso regular do cigarro, ingestão excessiva de álcool antes de caminhar e comportamento obsessivo de competir com os participantes.

Se você perceber qualquer dos itens a seguir, durante ou depois da caminhada, procure seu médico ele é a pessoa ideal para lhe ajudar:

• Tontura;
• Fadiga excessiva;
• Sudorese intensa;
• Batimentos cardíacos irregulares;
• Falta de ar intensa;
• Má recuperação dor no peito.

Leve sempre uma identificação médica, em caso de emergência, as pessoas saberão que você é diabético. Avalie seu desempenho de tempos em tempos, você perceberá o quanto este simples exercício é capaz de proporcionar benefícios ao seu organismo. Para isso, basta você caminhar corretamente com energia e disposição.

REABILITAÇÃO CARDÍACA

Segundo a Organização Mundial da Saúde, reabilitação cardíaca é o somatório das atividades necessárias para garantir aos pacientes portadores de cardiopatia as melhores condições física, mental e social, de forma que eles consigam, pelo seu próprio esforço, reconquistar uma posição normal na comunidade e levar uma vida ativa e produtiva.

 


As recomendações de reabilitação foram sugeridas por:

  • Professora Viviane Acunha Barbosa
    Profª. Assistente na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
    Professora de Educação Física e Fisioterapeuta
    Pós-graduação em Ginástica Médica e Fisioterapia Respiratória
    Mestre em Educação

 


MARCA HORIZONTAL_ICOR.png 1

O Instituto do Coração de Santa Maria (ICOR) é referência na área da saúde. Há mais de 20 anos cuida do coração da cidade e região oferecendo um atendimento ético, humanizado e de qualidade.

Últimas do Blog