Você está no

BLOG DO ICOR

alcccc-1200x900.jpg
10/dez/2018

O álcool encontrado nas bebidas é o etanol, uma substância resultante da fermentação de elementos naturais.


O álcool da aguardente vem da fermentação da cana-de-açúcar, e o da cerveja, da fermentação da cevada, por exemplo. Quando ingerido, o etanol é digerido no estômago e absorvido no intestino. Pela corrente sanguínea suas moléculas são levadas ao cérebro.

  • Cérebro: O excesso de álcool pode causar, nessa ordem; perda de reflexo, problemas de atenção, perda de memória, sonolência e coma alcoólico, que em alguns casos pode resultar em parada cardíaca e morte.
  • Coração: A bebida faz com que o cérebro libere uma substância chamada adrenalina, que acelera a atividade do sangue no sistema cardiovascular, aumentando a frequência dos batimentos cardíacos.
  • Fígado: A bebida altera a produção de enzimas no fígado, que leva em média, uma hora para metabolizar cada dose de bebida. Por conta disso esse órgão direciona 100% dos esforços para metabolizar o álcool consumido. Em consequências disso, pode surgir uma inflamação crônica e uma hepatite alcoólica, que podem evoluir para cirrose.
  • Estômago: O álcool irrita as mucosas do estômago e esôfago, alterando o funcionamento das membranas intestinais, podendo causar esofagite, gastrite e até diarreia.
  • Rins: O álcool sobrecarrega os rins, comprometendo o trabalho deste órgão que é filtrar as substâncias do nosso corpo.
  • Músculos: Quando abusamos do álcool, os músculos ficam relaxados porque a ligação entre o sistema nervoso periférico – responsável por controlar nossos movimentos – e nosso sistema muscular fica comprometida.
  • Ressaca: Além de todas as complicações que o álcool causa durante o estado de embriaguez, ele ainda pode deixar uma lembrança para o dia seguinte. A famosa ressaca! Dentre os sintomas da ressaca estão enjoo, vômitos, diarreia, tontura, pensamento embaralhado, moleza e até um sentimento de tristeza.

A longo prazo, o álcool prejudica todos os órgãos, em especial o fígado, que é responsável pela destruição das substâncias tóxicas ingeridas ou produzidas pelo corpo durante a digestão. Dessa forma, havendo uma grande dosagem de álcool no sangue, o fígado sofre uma sobrecarga para metabolizá-lo.

O álcool no organismo causa inflamações, que podem ser: gastrite, quando ocorre no estômagoHepatite alcoólica, no fígadoPancreatite, no pâncreasNeurite, nos nervos.

Cuidado, todo exagero faz mal.

 

Fonte: Minha Vida

 


MARCA HORIZONTAL_ICOR.png 1

O Instituto do Coração de Santa Maria (ICOR) é referência na área da saúde. Há mais de 20 anos cuida do coração da cidade e região oferecendo um atendimento ético, humanizado e de qualidade.

Últimas do Blog