Psoríase aumenta as chances de doenças cardiovasculares

Pessoas que têm psoríase possuem mais chances de sofrer doenças cardiovasculares, como infartos e derrames. Isso porque a condição acarreta uma inflamação crônica que não atinge apenas a pele, mas várias partes do organismo.

Doença de pele crônica e inflamatória, a psoríase é originada quando o próprio organismo renova suas células da pele em até oito vezes mais rápido que o normal, causando lesões avermelhadas, coceira, descamação e dor.

Há uma predisposição genética que, aliada a fatores do ambiente, podem desencadear o quadro.

Infecções de garganta, medicações como certos antidepressivos a base de lítio, bem como o estresse e a ansiedade são fatores que desencadeiam ou agravam o problema.

Sobre a #psoríase:
 

  • A doença não é contagiosa;
  • Há mais de um tipo;
  • Os sintomas podem desaparecer e voltar;
  • Um terço das pessoas que têm psoríase possuem outro caso da doença na família;
  • Psoríase não tem cura.


Por ser facilmente confundida com alergias e micose, por exemplo, muitas pessoas só descobrem a condição ao visitar um médico especialista ou dermatologista.

A doença não tem cura, mas tem tratamento. Praticar exercícios e mudar hábitos como parar de fumar e diminuir o consumo de bebidas alcoólicas são importantes para que os sintomas não se agravem.

www.icor.com.br 

ICOR está sempre do seu lado ajudando você a cuidar do seu coração e de você!

Aqui no ICOR, você encontra a melhor assistência e qualidade no atendimento. Nossas unidades realizam exames cardiológicos, vasculares, de cateterismo cardíaco e vascular com diagnósticos seguros e confiáveis.

Além disso, contamos com uma equipe médica altamente qualificada. São profissionais com grande experiência nas suas áreas de atuação e um quadro de funcionários que fornecem todo o suporte que o paciente merece e busca na hora de realizar seus exames.

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *